Nesta semana fui informada que uma amiga querida está com Covid19.
Seu quadro era complicado devido a uma DRC (Doença renal crônica ).
Nos conhecemos na antessala de um consultório nefrológico e foi amizade real e instantânea, daquelas que não se vê mais por aí.
Vários assuntos permeavam nossos retornos médicos, desde a troca nas muitas dicas no tratamento... como na indicação de filmes e livros, nos
cuidados com o cão... e também nas receitas apetitosas e adaptadas na versão sem sal.
Ideias e Ideais...
viagens e terapia...
política e economia...
vida e morte...
Fé e Esperança...

Dois anos e três dias separam nossas idades.
Como presente ela aniversaria no mesmo dia do meu saudoso pai...
Já fui a sua casa
Ela já veio na minha...
Fizemos noite das meninas e até bebemos tequila.

Adentrei seu interior... e lá segundo ela, ocupei uma espaço enorme no
seu gigantesco coração...
Ela reside aqui no meu... desde o primeiro dia... sendo portanto,
moradora vitalícia.

Por fim, possuir uma doença preexistente não fez e nem faz de nós seres descartáveis ou menos necessários!
Podemos ter uma vida produtiva e feliz, sendo úteis e longevos se
não formos contaminados... mas se formos é imprescindível acesso a tratamento e a um leito hospitalar como qualquer cidadão.
Sigo aqui em reflexão por aqueles que não são empáticos, tão pouco corresponsáveis...
que seguem apressados, não compreendendo que a sua celeridade em
"viver normalmente hoje" afeta vidas como a minha e a da minha amiga.
Afinal, não é minimamente aceitável que as nossas vidas sejam menos preciosas ou importantes que as daqueles que caminham como se não
houvesse uma pandemia!
Cada vida importa...
Cada testagem positiva carrega a insegurança e a angústia de não saber o que virá ...
E hoje eu choro...
pois sei exatamente como será...
Alguns não resistirão... partirão precocemente...
E ela partiu... se foi...
deixando um legado de amor e compaixão... E o mundo está menos colorido pois perdeu não só um lindo sorriso,
mas igualmente, bom humor e o jeito singular de ter fé na vida e
nas pessoas e inclusive de devolver o riso àqueles que
voluntariamente (gratuitamente) ela atendia em seu consultório
odontológico.

Olhe por nós daí...
Você viverá no meu coração e pensamento em todos os dias!

Afinal... que ironia!
Você disse que jamais desistiria... e em nossa última chamada de vídeo... já exausta falou-me que era só uma pausa... que desistir não existia no dicionário
da Rê... e jamais deveria existir no meu!

Seguirei em luta!
Por mim, por você... pelo que acreditamos... pelo muito que partilhamos!